terça-feira, 20 de agosto de 2013

Histórias de Fantasmas do B1A4

Imagem apenas ilustrativa
Sandeul

Há uma garota que está praticando uma música em uma sala de aula que normalmente não é usada por mais ninguém e ela começa a cantar. Mas hoje é diferente. Há mais alguém que parece bom,cantou o refrão para ela.
Ela queria o agradecer,então o chamou,mas não houve resposta.Então ela finalmente encontrou segurança para perguntar o nome daquela pessoa.
‘Ahjussi,quem é a pessoa que veio para a sala de aula hoje?’
‘Sobre o que está falando? Ninguém além de você veio hoje,senhora.’
‘Então,quem era?’

Jinyoung

Quando eu era criança,fui na casa da minha avó,brincar até o dia escurecer. Depois eu percebir que estava em um campo de uma escola.Estava brincando com crianças que pareciam ser estudantes da escola.
De repente o sinal da escola tocou e eu corri de volta para casa. Quando cheguei,perguntei a minha avó sobre a escola ,mas ela não entendeu o que eu quis dizer.
‘O que está falando? Essa escola está abandonada por um longo tempo...’ ela disse. Então ela acrescentou ‘e não há sinal na escola,mesmo que o prédio ainda esteja lá’,
(PS:Que tipo de sinal funcionaria em uma escola abandonada? Na cultura coreana,o sino tocando também quer dizer o momento para morrer.)

Baro

Essa é uma história do dia em que eu quebrei minha perna. Fui em um quarto para 3 pacientes. Havia um paciente próximo de mim que rapidamente se tornou meu amigo.
Muitas vezes o paciente batia palmas no ritmo enquanto eu fazia meu rap.Foi tão divertido passar o tempo com esse paciente,mas quando eu saí do quarto por um tempo e voltei,só mostrava meu nome na porta. Então eu perguntei a enfermeira: ‘O crachá de um paciente do quarto,parece ter caído da porta’. A enfermeira me encarou como se eu fosse estranho o suficiente para ser encarado. Ela disse que desde o primeiro dia que eu estava naquele quarto,eu estava sozinho.

Gongchan
Havia um hyung que estava estudando muito concentrado na biblioteca. Talvez porque ele estava tão focado,eu nunca o vi levantar daquela cadeira.
Olhando nele,pensei que eu deveria estudar daquele jeito também.No dia anterior ao meu exame para entrar numa universidade,fui lá novamente. Mas o hyung não estava mais em sua cadeira,então perguntei para a senhora da biblioteca:
‘Onde está o hyung que sentava na mesma fileira que eu?’

‘O que está dizendo? Faz um ano que ninguém quer sentar lá...’


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...